HIV: #estudo mostra sucesso na terapia antirretroviral injetável de ação prolongada

Postado em Atualizado em

animação representando o vírus HIV

HIV: estudo mostra sucesso na terapia antirretroviral injetável de ação prolongada

Segundo estimativas mais recentes do UNAIDS (Joint United Nations Program on HIV/AIDS), o Brasil é o país da América Latina que mais concentra casos de novas infecções por HIV, respondendo por 40% das novas infecções, enquanto Argentina, Venezuela, Colômbia, Cuba, Guatemala, México e Peru respondem por outros 41% desses casos.

Em junho do ano passado, cerca de 18,2 milhões de pessoas tiveram acesso ao tratamento antirretroviral em todo o mundo. Os avanços em terapias antirretrovirais altamente ativas (HAART, do inglês highly active antiretroviral therapies) melhoraram a eficácia do tratamento para pacientes com HIV, aumentando a sobrevida e a qualidade de vida. Seu uso é altamente eficaz se tomado diariamente.

Entretanto, manter uma boa adesão em longo prazo pode ser um desafio, e as formulações de medicamentos injetáveis de ação prolongada podem oferecer uma alternativa para pessoas que enfrentam uma vida útil de tratamento.

Cabotegravir e rilpivirina são medicamentos antirretrovirais em desenvolvimento como formulações injetáveis de ação prolongada.

De acordo com os resultados do estudo LATTE-2, publicados recentemente no The Lancet, a combinação de dois medicamentos injetáveis de longa ação como cabotegravir e rilpivirina a cada 4 semanas ou a cada 8 semanas, foi tão eficaz quanto a terapia oral diária de três fármacos na manutenção da supressão viral do HIV-1 durante 96 semanas. Além disso, essa combinação foi bem aceita e tolerada.

O LATTE-2 (ainda em andamento) é o primeiro estudo realizado com o objetivo de investigar a eficácia e a segurança de uma terapia antirretroviral injetável de ação prolongada para o tratamento da infecção pelo HIV-1. Uma opção para tratar o HIV-1 sem o uso de medicamentos orais diários representa uma mudança de paradigma do tratamento.
A fase da análise (IIb) incluiu 309 pessoas com HIV sem tratamento prévio. Mais de 90% eram homens, cerca de 80% eram brancos e a faixa etária média foi de 36,6 anos.

Dos 309 participantes iniciais, 286 alcançaram a supressão viral e foram randomizados para a terapia de manutenção para receber injeções intramusculares de cabotegravir mais rilpivirina de ação prolongada a cada 4 semanas (n=115) ou a cada 8 semanas (n=115) ou continuar recebendo o regime oral de cabotegravir mais abacavir-lamivudina (n=56; grupo de tratamento oral).

O principal resultado do estudo foi que, entre os pacientes que foram suprimidos em uma terapia baseada em cabotegravir oral, mudar para uma combinação prolongada de cabotegravir e rilpivirina manteve a supressão viral em 90% dos pacientes até a semana 96 após 4 semanas ou 8 semanas de administração injetável semanal em taxas comparáveis ao restante da terapia diária baseada em cabotegravir oral.

Em relação aos resultados de segurança, as reações no local de injeção foram leves (3.648 [84%] de 4.360 injeções) ou moderadas (673 [15%] de 4.360 injeções) e raramente resultaram em descontinuação (<1%). A dor no local da injeção foi relatada com maior frequência. Eventos adversos sérios durante a manutenção foram relatados em 22 (10%) de 230 pacientes nos grupos intramusculares (grupos de 4 semanas e 8 semanas) e 7 (13%) de 56 pacientes no grupo de tratamento oral. Nenhum evento adverso foi relacionado aos medicamentos.

Participantes deste estudo relataram um alto nível de satisfação com o tratamento. Mais de 90% dos pacientes que receberam injeções de longa ação relataram que estavam satisfeitos em comparação com cerca de 70% daqueles sobre o esquema oral.

Os dados publicados até o momento do estudo LATTE-2 forneceram evidências importantes para a durabilidade da resposta virológica e a aceitabilidade de injeções intramusculares para o uso crônico na terapia antirretroviral dupla em pacientes infectados com HIV-1.

 

 

Referências:

  • Margolis DA, Gonzalez-garcia J, Stellbrink H, Eron JJ, Yazdanpanah Y, Podzamczer D, et al. Long-acting intramuscular cabotegravir and rilpivirine in adults with HIV-1 infection ( LATTE-2 ): 96-week results of a randomised , open-label , phase 2b , non-inferiority trial. Lancet. 2017 Jul 21. pii: S0140-6736(17)31917-7. doi: 10.1016/S0140-6736(17)31917-7. [Epub ahead of print]
  • UNAIDS 2016. Report on the global AIDS epidemic. http://www.unaids.org/sites/default/files/media_asset/global-AIDS-update-2016_en.pdf
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s