Tempo de espera aceitável para a colonoscopia

Postado em

 

MGFamiliar ® – Wednesday, June 21, 2017

 

http://www.mgfamiliar.net/images/destaques/

 

Pergunta clínica: O tempo decorrido entre uma pesquisa de sangue oculto nas fezes com resultado positivo e a realização de colonoscopia tem influência no risco e estadiamento do cancro do cólon e recto?

Enquadramento: O cancro do cólon e recto é a segunda causa de morte por cancro nos Estados Unidos da América e uma das mais frequentes no mundo. A realização de rastreio do cancro do cólon e recto mostrou reduzir a mortalidade por esta patologia. A pesquisa de sangue oculto nas fezes é um teste frequentemente usado como rastreio do cancro do cólon e recto. Embora esteja estabelecido que um resultado positivo na pesquisa de sangue oculto nas fezes implica a realização subsequente de colonoscopia, o espaço temporal entre estes não está definido, pelo que o tempo decorrido entre a realização dos dois exames é muito variável, podendo resultar na progressão da doença.

Desenho do estudo: Estudo coorte retrospetivo. Do total de 7,5 milhões clientes de uma empresa seguradora dos Estados Unidos da América selecionaram-se todos os adultos com idade entre 50-75 anos e com pesquisa de sangue oculto nas fezes positiva realizada entre 1 de Janeiro de 2010 e 31 de julho de 2013. Critérios de exclusão: história prévia de cancro do cólon e recto; contrato com a seguradora com duração inferior a um ano após a realização da pesquisa de sangue oculto nas fezes e sem colonoscopia realizada no período segurado; duração de contrato de seguro inferior a um ano antes da realização da pesquisa de sangue oculto nas fezes; suspensão de contrato de seguro superior a 3 meses após a realização da pesquisa de sangue oculto nas fezes ; colonoscopia realizada há menos de 10 anos ou sigmoidoscopia realizada há menos de 5 anos; diagnóstico de cancro do cólon e recto (com ou sem colonoscopia) nos 1-7 dias após pesquisa de sangue oculto nas fezes positiva (nestes casos a pesquisa de sangue oculto nas fezes  poderia ser considerada como teste diagnóstico e não teste de rastreio).  Os outcomes primários foram o diagnóstico imediato ou aos 6 meses após colonoscopia de cancro do cólon e recto de qualquer tipo, de doença avançada (cancro em estadios III e IV) ou de adenomas com histologia de alto grau. Odds-ratio (OR) e intervalos de confiança a 95% (IC) foram ajustados para os dados sociodemográficos e outros fatores de risco.

Resultados: Identificaram-se 81518 doentes elegíveis. Destes, 70124 indivíduos realizaram colonoscopia subsequente (média de idades de 61 anos; 52,7% do género masculino) Foram  identificados 2191 casos de cancro do cólon e recto, dos quais 601 correspondiam a casos de doença em estadio avançado. Em relação ao tempo decorrido até à realização da colonoscopia verificou-se que não existiram diferenças significativas no risco de cancro do cólon e recto ou doença avançada entre a sua realização nos primeiros 8-30 dias, 2 meses, 3 meses, 4-6 meses ou 7-9 meses. Os riscos foram significativamente maiores quando a colonoscopia foi realizada após 10-12 meses quer para o diagnóstico de cancro do cólon e recto (casos de cancro do cólon e recto em 1000=49; OR 1.48 [IC95% 1.05-2.08]) quer para o diagnóstico de doença avançada (casos de cancro do cólon e recto em 1000=19; OR 1.97 [IC95% 1.14-3.42]) e após os 12 meses (n=747) de igual forma quer para o diagnóstico de cancro do cólon e recto (casos de cancro do cólon e recto em 1000=76; OR 2.25 [IC95% 1.89-2.68]) quer para o diagnóstico de doença avançada (casos de cancro do cólon e recto em 1000=31; OR 3.22 [IC95% 2.44-4.25])

Conclusão: Nos doentes que realizaram pesquisa de sangue oculto nas fezes e obtêm um resultado positivo, a realização de colonoscopia subsequente passados mais de 10 meses está associada a um maior risco de cancro do cólon e recto e de doença em estadio avançado no momento de diagnóstico, quando comparada com a sua realização após 8-30 dias. Mais estudos são necessários para estabelecer uma relação de causalidade.

Comentário: Embora nos últimos anos se verifique um aumento da taxa de incidência de diagnósticos oncológicos em Portugal, a mortalidade associada a estes tem vindo a diminuir. No SNS, a acessibilidade à colonoscopia após pesquisa de sangue oculto nas fezes positiva tem vindo a melhorar. Este estudo alerta para a necessidade dos profissionais de saúde e doentes estarem atentos perante a positividade de um teste de pesquisa de sangue oculto nas fezes, de forma a proceder à realização da colonoscopia num período temporal adequado, idealmente nos primeiros 10 meses, e que permita uma deteção precoce e tratamento atempado de qualquer patologia oncológica diagnosticada.

Artigo original: JAMA

Por Carla Martins, USF Vale do Vez

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s