Causas de Envelhecimento e onde podemos atuar

Postado em Atualizado em

O envelhecimento humano é um processo fisiológico de declínio gradativo e funcional de todas as nossas células, tecidos e órgãos. Este processo inicia-se de forma lenta e progressiva e repercute de forma negativa podendo causar sinais e sintomas como:

  • Cansaço e desânimo
  • Má qualidade do sono
  • Diminuição da capacidade intelectual
  • Aumento da gordura corporal
  • Dificuldade em perder peso mesmo se alimentando corretamente
  • Diminuição da força e tônus muscular
  • Diminuição da massa muscular e óssea
  • Diminuição da libido (desejo sexual)
  • Rigidez articular
  • Intolerância ao exercício
  • Dificuldade de locomoção
  • Aumento de rugas e flacidez
  • Diminuição da imunidade
  • Aumento do risco de doenças crônicas como câncer, Alzheimer, infarto, dor crônica, depressão, osteoporose, artroses, obesidade, hipertensão, elevação do colesterol, diabetes melito,etc.

Principais fatores atrelados ao envelhecimento e aos tópicos citados acima:

  • Submetilação: deficiências crônicas de vitaminas do complexo B diminuem o processo de metilação, aumentando a homocisteína a qual está intimamente ligada a doenças do envelhecimento como câncer, Alzheimer , infarto agudo do coração e acidente vascular cerebral
  • Glicação e resistência a insulina : glicose age como uma mediadora do envelhecimento.Tem um efeito acumulativo durante a vida. A GLICAÇÃO é um reação não enzimática entre a glicose e os tecidos adiposos e proteicos.
  • Disfunção mitocondrial: a mitocôndria é o centro da produção de energia do organismo e por isso sua disfunção tem grande correlação com inúmeras doenças como câncer e doença cardiovascular
  • Oxidação celular (estresse oxidativo): “enferrujamento” do organismo causado pelo envelhecimento natural e acelerado por maus hábitos de vida como tabagismo, álcool e estresse
  • Inflamação silenciosa ou subclínica: “ataque” de citocinas inflamatórias, em geral causado por células de gordura em excesso ou por alimentos alergênico ou ainda infecções crônicas latentes.
  • Diminuição da relação de hormônios anabólicos/catabólico como por exemplo o que ocorre na menopausa,andropausa, somatopausa e diminuição de DHEA
  • Encurtamento dos telômeros

Fatores agravantes:

  • Hipovitaminose D: o déficit desta vitamina está ligado a inúmeras doenças como cânceres de mama, próstata, doença cardiovascular , depressão , osteoporose, sarcopenia e doenças auto imune
  • Disbiose Intestinal: alteração da flora intestinal causada pelo desequilíbrio entre bactérias benéficas e nocivas em nosso intestino, o que aumenta a chance de baixa imunidade e depressão.
  • Estresse crônico causando liberação excessiva ou diminuída de cortisol
  • Carência nutricional clínica e subclínica – má absorção e por baixa ingestão tendo em vista a diminuição do apetite ao envelhecer por diminuição do metabolismo e perda de massa muscular
  • Intolerância alimentar a nutrientes potencialmente alergênicos
  • Desequilíbrio de neurotransmissores favorecendo doenças psiquiátricas, falta de motivação, isolamento, tristeza e ansiedade

Uma das teorias aceitas, como diz o estudo abaixo, é o déficit de hormônios anabólicos e sexuais que vai ocorrendo ao longo da vida. Cito aqui algumas coisas que podem interferir em nossos níveis hormonais e que consequentemente podem nos envelhecer precocemente:

  • Contaminação por estrogênios ambientais presentes em plásticos e embalagens. Ex. Bis fenol
  • Uso de anticoncepcionais hormonais em mulheres
  • Uso de anabolizantes de forma indiscriminada
  • Obesidade e anorexia.
  • Excesso de insulina mediante ao consumo excessivo de carboidratos e diminuído de gorduras e proteínas
  • Inversão de horário como trabalhar à noite e dormir de dia
  • Alcoolismo e uso de drogas crônico de drogoas ilícitas e lícitas
  • Não gerenciamento do estresse
  • Cirurgia de redução do estômago ou gastroplastia
  • Estresse: Escola/faculdade, mercado de trabalho e sociedade exigindo cada vez mais das pessoas impactando na produçao de cortisol.
  • Baixa ingestão de gorduras e carboidratos em dietas mirabolantes (as gorduras e os carboidratos são as principais matérias primas para o colesterol que é o principal formador de hormônios como estrôgenio e testosterona

O que podemos fazer?

  • Suplementação de vitaminas e minerais caso haja necessidade
  • Reeducação alimentar idealmente baseada no metabolismo de repouso
  • Praticar exercícios físicos específicos para o cada tipo de organismo
  • Gerenciamento do estresse
  • Equilíbrio da flora intestinal para melhor absorção de vitaminas e minerais.
  • Regularização dos hormônios insulina e glucagon evitando a glicação
  • Sensibilização da via insulina/IGF1
  • Ativação da AMPK
  • Ativação da MTOR – afinal é necessario manter – se massa magra para envelhecer
  • Otimização de vitaminas do complexo B para se evitar a submetilação e aumento de homocisteína
  • Reposição hormonal conforme queixas clínicas, alterações físicas e exames laboratoriais
  • Uso de nutracêuticos que otimizem a função mitocondrial
  • Uso de gorduras poli-insaturadas Ômega 3 em quantidades mais altas para minimizar a inflamação crônica ou sub clínica caso esta seja constatada em exames
  • Otimização da vitamina D
  • Identificação de alimentos alergênicos
  • Reequilíbrio de neurotransmissores para tratamento de doenças psiquiátricas

 

Estudo do The Journal of Gerontology mostra que reposição hormonal pode promover o envelhecimento saudável e a longevidade

Divisão de Endocrinologia e Metabolismo, Departamento de Medicina Interna da Universidade do Texas Medical Branch, Galveston

O envelhecimento está associado com uma perda de hormônios sexuais em homens (andropausa) e mulheres (menopausa). Nos homens, a redução da testosterona pode provocar quedas de massa muscular, massa óssea, e na função física. Nas mulheres, o impacto da perda de hormônios sexuais, tais como o estradiol, no osso é bem elucidado, mas a evidência é limitada se a perda de estradiol afeta negativamente a massa muscular e a função física. No entanto, as deficiências em vários hormônios anabólicos têm sido mostradas para prever o estado de saúde e longevidade em pessoas mais velhas. Assim, deve ser considerada a possibilidade de terapias de reposição hormonal revelarem-se eficazes no tratamento de condições clínicas, como sarcopenia, relacionadas à idade, caquexia do câncer e/ou doenças agudas ou crônicas. Foram iniciadas com cuidado, na população clínica adequada, terapias de reposição hormonal em homens e mulheres que podem prevenir e reverter a perda de massa óssea e muscular e declínios funcionais e, talvez, promover o envelhecimento saudável e longevidade.

http://biomedgerontology.oxfordjournals.org/content/67/11/1140

 

Envelhecimento Cerebral e IGF -1

O envelhecimento é associado à deficiência acentuada em IGF-1, o que foi mostrado para contribuir para o declínio cognitivo relacionado com a idade. Para estabelecer a ligação entre IGF-1 deficiência e insuficiência cerebromicrovascular, mecanismos de acoplamento neurovascular foram estudados em ratos com deficiência de IGF-1 ( IGF1 f / f -TBG-Cre-AAV8) e envelhecimento acelerado vascular. Nós descobrimos que os ratos com deficiência de IGF-1 apresentam desacoplamento neurovascular e apresentam um déficit no teste de memória espacial dependente do hipocampo, imitando o fenótipo de envelhecimento. Deficiência de IGF-1 prejudica função endotelial cerebromicrovascular diminuindo NO no acoplamento neurovascular. Coletivamente, nós demonstramos que a deficiência de IGF-1 promove disfunção cerebromicrovascular e desacoplamento neurovascular imitando o fenótipo de envelhecimento, que são susceptíveis de contribuir para o prejuízo cognitivo

 

TA 65 e Telômero

Aqui, mostra-se que um ativador de pequena molécula da telomerase (TA-65) purificada a partir da raiz de Membranaceus astrágaloé capaz de aumentar o comprimento médio dos telomeros e diminuindo a percentagem de telómeros criticamente curtos e de danos no DNA de rato haploinsufficient fibroblastos embrionários (MEFs ) que abrigam criticamente telômeros curtos e uma única cópia da telomerase RNA Terc gene (G3 Terc +/- MEFs). Importante, TA-65 não causar alongamento dos telômeros ou danos no DNA resgate em tratados de forma semelhante telomerase deficiente G3 Terc – / – MEFs mesma ninhada. Estes resultados indicam que o tratamento TA-65 resulta em elongação dependente de telomerase de telómeros curtos e salvamento de dano de ADN associada, demonstrando assim que a AT-65 mecanismo de ação é através da via da telomerase. Além disso, demonstramos que a AT-65 é capaz de aumentar a telomerase rato inverter os níveis de transcriptase em alguns tecidos do rato e alongar os telómeros criticamente curtos quando suplementados como parte de uma dieta padrão em camundongos. Finalmente, TA-65 suplemento dietético em ratos do sexo feminino leva a uma melhoria de alguns indicadores de saúde do vão incluindo a tolerância à glicose, osteoporose e fitness pele, sem aumentar significativamente a incidência de câncer global.

“Envelhecer não se resume a viver vários anos, 100, 120 anos.O mais importante é envelhecer com qualidade, e infelizmente alguns têm se esquecido disso.”

 

 

REFERÊNCIAS

Estrogen replacement and skeletal muscle: mechanisms and population health.

http://jap.physiology.org/content/115/5/569

Association Between Serum 25-Hydroxyvitamin D Levels, Bone Geometry, and Bone Mineral Density in Healthy Older Adults.

http://biomedgerontology.oxfordjournals.org/content/68/8/992.abstract

Nutrition As a Part of Healthy Aging and Reducing Cardiovascular Risk: Improving Functionality in Later Life Using Quality Protein, with Optimized Timing and Distribution.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25151523

Lifestyle and Advanced Glycation End Products (AGEs) Burden: Its Relevance to Healthy Aging.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24900944

Physical Exercise in MCI Elderly Promotes Reduction of Pro-Inflammatory Cytokines and Improvements on Cognition and BDNF Peripheral Levels.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25212919

Cognitive Performance and Functional Status Are the Major Factors Predicting Survival of Centenarians in Poland.

http://biomedgerontology.oxfordjournals.org/content/69/10/1269.abstract

Age and estrogen-based hormone therapy affect systemic and local IL-6 and IGF-1 pathways in women.

http://link.springer.com/article/10.1007%2Fs11357-011-9298-1

Protection against muscle damage exerted by oestrogen: hormonal or antioxidant action?

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/?term=Bar+PR%2C+Amelink+GJ.+Protection+against+muscle+damage+exerted+ by+oestrogen%3A+ hormonal+or+antioxidant+action%3F+Biochem+Soc+Trans+25%3A+50%E2%80%9354%2C+1997.

Effects of eccentric exercise on systemic concentrations of pro- and anti-inflammatory cytokines and prostaglandin (E2): comparison between young and postmenopausal women.

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22227852?access_num=22227852&link_type=MED&dopt=Abstract

Influence of hormone replacement therapy on eccentric exercise induced myogenic gene expression in postmenopausal women.

http://jap.physiology.org/content/107/5/1381

IGF-1 deficiency impairs neurovascular coupling in mice: implications for cerebromicrovascular agingPeter Toth1,2,†, Stefano Tarantini1,3,†, Nicole M. Ashpole1, Zsuzsanna Tucsek1, Ginger L. Milne4, Noa M. Valcarcel-Ares1, Akos Menyhart5, Eszter Farkas5, William E. Sonntag1,6, Anna Csiszar1,2,3,6,†,* andZoltan Ungvari1,2,3,6,7,†,*

DNA methylation and healthy human aging Meaghan J. Jones1,2,*, Sarah J. Goodman1,2 andMichael S. Kobor1,2,3

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s