Diagnóstico por imagem no abdome agudo: 20 causas não traumáticas

Postado em

Dra. Aline Serfaty 

Slides 1

Diagnóstico por imagem no abdome agudo: 20 causas não traumáticas

A dor aguda abdominal ou abdome agudo é uma das principais causas de atendimento médico nas emergências. O diagnóstico deve ser feito de forma rápida e precisa, a fim de orientar o tratamento adequado, muitas vezes cirúrgico.

Neste tutorial são apresentados os aspectos de imagem de 20 causas não traumáticas de dor aguda abdominal. Aproveite para relembrá-las!

Slides 2

Colecistite aguda

A e B, TC – vesícula biliar com parede bastante espessada (setas azuis).

Obs: Cisto hepático (seta laranja).

Imagem: cortesia A.Prof Frank Gaillard, Radiopaedia.org. Do caso rID: 9810

Slides 3

Apendicite aguda

A e B, TC – apêndice espessado com apendicolito (setas).

Imagem: cortesia Dr Augusto César Vieira Teixeira, Radiopaedia.org. Do caso rID: 23220

Slides 4

Apendagite epiploica

A, B e C, TC – lesão na fossa ilíaca esquerda com densidade de gordura em correspondência ao cólon sigmoide e com halo hiperdenso, sugerindo inflamação da gordura mesentérica adjacente (setas).

Imagem: cortesia Dr Sameh Saied Ali, Radiopaedia.org. Do caso rID: 36658

Slides 5

Intussuscepção

USG do abdome em paciente de 5 meses – massa ovalada hipoecoica envolvendo alça intestinal (setas), caracterizando intussuscepção. Observa-se também líquido livre (seta laranja).

Imagem: cortesia Dr M Osama Yonso, Radiopaedia.org. Do caso rID: 29728

Slides 6

Diverticulite perfurada no cólon sigmoide

A e B, TC – divertículo no cólon distal (seta amarela) associado a densificação da gordura adjacente (seta azul) e a pequena quantidade de gás (seta laranja).

Obs: a aparência da gordura normal é indicada pela seta vermelha (comparar com o aspecto alterado, na seta azul).

Imagem: cortesia Dr Bruno Di Muzio, Radiopaedia.org. Do caso rID: 40825

Slides 7

Infarto omental

A e B, TC – infiltração da gordura adjacente à borda antimesentérica à direita do cólon transverso (setas), não se observando espessamento parietal do mesmo.

Imagem: cortesia Dr Adriana Dubbeldam, Radiopaedia.org. Do caso rID: 22341

Slides 8

Trombose da veia ovariana direita

A e B, TC – falha de enchimento (trombo) na veia ovariana à direita (setas).

Imagem: cortesia Dr Hani Salam, Radiopaedia.org. Do caso rID: 9435

Slides 9

Sinal do cut-off do cólon

A , radiografia do abdome – ausência de gás no cólon além da flexura esplênica, notando-se transição abrupta do cólon distendido para o colapsado (seta laranja).

B e C, TC cortes coronal e sagital, respectivamente – observa-se estreitamento acometendo o terço proximal do cólon descendente, com acentuada distensão a montante (setas azuis).

Imagem: cortesia Dr Vikas Shah, Radiopaedia.org. Do caso rID: 31102

Slides 10

Perfuração do intestino delgado por osso de galinha

A, B e C, TC – osso de galinha identificado pelas setas azuis.

Imagem: cortesia Dr Bruno Di Muzio, Radiopaedia.org. Do caso rID: 14920

Slides 11

Aneurisma abdominal

A, B, C e D, TC – observa-se grande aneurisma sacular da aorta abdominal infrarrenal, com grande trombo em seu interior (asterisco vermelho), notando-se passagem de contraste pela porção superior do trombo (setas azuis, figuras A, C e D).

Há grande quantidade de sangue no retroperitônio (setas verdes). Nota-se hidronefrose à esquerda e atraso na concentração de contraste neste rim (linha amarela tracejada).

Imagem: cortesia A.Prof Frank Gaillard, Radiopaedia.org. Do caso rID: 17232

Slides 12

Íleo biliar

A, B e C, radiografias – lucência ramificada no quadrante superior direito (setas verdes) –pneumobilia; níveis líquidos (tracejado laranja) – obstrução intestinal; imagem parcialmente calcificada à esquerda da linha média – cálculo.

D e E, TC – penumobilia (setas verdes); cálculo em alça intestinal no flanco esquerdo (seta azul); alças intestinais distendidas (setas laranjas).

Imagem: cortesia A.Prof Frank Gaillard, Radiopaedia.org. Do caso rID: 13620

Slides 13

Intussuscepção colocólica

A, B e C, TC – formação expansiva na flexura esplênica do cólon, observando-se preenchimento do lúmen por gordura mesentérica e vasos que se direcionam para a massa (setas). Este tipo de intussuscepção em adultos é mais comumente causada por neoplasia.

Imagem: cortesia Dr Jörgen Strömberg, Radiopaedia.org. Do caso rID: 38809

Slides 14

Volvo de sigmoide

A, radiografia – importante distensão de alças intestinais com o ápex apontando em direção ao quadrante superior direito.

B, C e D , TC – importante dilatação do cólon sigmoide, com ponto de transição abruptos na junção retossigmoidea e aparência espiralada do mesentério e vasos.

Imagem: cortesia Dr Bruno Di Muzio, Radiopaedia.org. Do caso rID: 17788

Slides 15

Sangramento gastrointestinal alto (úlcera gástrica)

A e B, TC – o sangramento no antro gástrico é identificado pela seta vermelha, onde se observa acúmulo de contraste iodado na fase portal.

Imagem: cortesia Dr Henry Knipe, Radiopaedia.org. Do caso rID: 39874

Slides 16

Pancreatite necrotizante

A e B, TC – infiltração da gordura peripancreática, destacando-se coleção líquida ao redor da cabeça e do corpo do pâncreas. A cabeça está edemaciada e com exsudato inflamatório (setas).

Imagem: cortesia Dr Saeed Soltany Hosn, Radiopaedia.org. Do caso rID: 20595

Slides 17

Pancreatite aguda

A, B e C, TC – pâncreas com volume discretamente aumentado, observando-se densificação da gordura peripancreática (setas).

Imagem: cortesia Dr Rahmoun Fateh, Radiopaedia.org. Do caso rID: 18850

Slides 18

Gravidez ectópica

USG – saco gestacional na região anexial esquerda (setas azuis)

Imagem: cortesia A.Prof Frank Gaillard, Radiopaedia.org. Do caso rID: 8161

Slides 19

Torção ovariana

A e B, TC – lesão cística na região anexial direita. Observa-se componente sólido anteriormente que corresponde ao pedículo torcido (seta amarela).

Imagem: cortesia RMH Core Conditions, Radiopaedia.org. Do caso rID: 28265

Slides 20

Pielonefrite aguda

A, B e C, TC – observa-se heterogeneidade do nefrograma à direita, com áreas corticais hipocaptantes de contraste (setas).

Imagem: cortesia Dr Bruno Di Muzio, Radiopaedia.org. Do caso rID: 40559

Slides 21

Cálculo ureteral

A, B e C, TC – cálculo medindo 6mm no terço médio do ureter (setas azuis) esquerdo determinando dilatação ureteropielocalicinal a montante. Nota-se ainda, densificação da gordura periureteral e perirrenal (seta laranja). Cisto renal exofítico na margem posterior do rim esquerdo (seta amarela).

Imagem: cortesia RMH Core Conditions, Radiopaedia.org. Do caso rID: 29517


.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s