Tatuagens ajudam na recuperação de pacientes com câncer de mama após a mastectomia

Postado em

Fran Lowry

 

David Allen, artista e tatuador de Chicago, está ajudando as mulheres que fizeram mastectomia a transformarem o sentimento de desfiguração por meio de desenhos de belas imagens sobre as cicatrizes da mastectomia.

Em um dia bom, diz o artista, ele consegue curar com a própria arte.

Allen descreve o seu trabalho na seção Artes e Medicina da edição de 21 de fevereiro do periódico JAMA.

No começo, ele relutou em tatuar pele irradiada. Mas uma cliente persistente finalmente conseguiu convencê-lo a tentar.

“Minha primeira cliente havia feito mastectomia unilateral e achou que seria muito bom fazer uma tatuagem floral sobre a reconstrução. Eu estava hesitante a fazê-lo, porque tinha medo tatuar a pele irradiada, então recusei. Ela insistiu durante seis meses. Então eu fiz algumas pesquisas e por fim concordei em tentar. Fui meticuloso e cuidadoso, e isso acabou se tornando uma experiência absolutamente incrível. Foi impressionante para nós dois, foi transformador. Foi lindo. É algo unico usar o próprio ofício para ajudar alguém, para contribuir dessa forma”, Allen disse ao Medscape.

Allen é pintor e tornou-se tatuador há 10 anos, depois que o filho nasceu.

“Eu era diretor de arte de uma revista de música. Era um trabalho burocrático. Meu pai morreu quando eu tinha seis anos, então eu não tive pai. Quando meu filho nasceu queria estar perto dele. Então pensei: que tipo de trabalho poderia fazer para isso e ainda assim ser lucrativo e me permitir controlar minha agenda caso desse certo? Com a tatuagem, faço meus horários de trabalho e isso é maravilhoso. Foi uma mudança drástica na minha carreira, mas eu fiz com que desse certo”, disse ele.

Allen criou sua primeira tatuagem pós-mastectomia há cinco anos. Ele fez cerca de 70 até hoje, e tem demanda para fazer mais. Ele atribui seu sucesso à internet, que o tornou conhecido.

“Eu faço a tatuagem em Chicago, mas 95% dos meus clientes vêm de todas as partes do mundo. As mulheres descobrem sobre mim na internet, e algumas das minhas tatuagens viralizaram. Houve também um artigo no Chicago Tribune que era previsto sair na última página do jornal, mas as mulheres que fizeram o artigo o fizeram com tanto amor e as fotos ficaram tão boas que o Tribune colocou a matéria na primeira página, de modo que de fato a notícia explodiu. Agora há uma fila de mulheres, e eu sou um só, de modo que estou tentando enfrentar esse desafio”, disse Allen.

As mulheres que o contatam para fazer uma tatuagem pós-mastectomia precisam responder a centenas de perguntas antes dele concordar em fazer o trabalho.

“Eu preciso saber se elas estão prontas. Minha contribuição deve ser uma parte saudável e orgânica do caminho delas pela doença. Se tiver a sensação de que não é este o caso eu recuso o trabalho, disse ele.

Criar uma obra de arte no corpo de uma mulher depois dela ter passado pela provação de perder uma mama dá a elas uma sensação de controle sobre um evento inesperado, perturbador e repentino, contou Allen.

“Eu acho que elas podem recuperar algum controle. Essas mulheres com as quais trabalho sentem que forças além de seu controle têm agido sobre elas, mas que com esta arte podem pleitear um novo ponto de referência. Não é como era antes, não estamos apenas simulando o que já existia. Estamos criando, na verdade, a obra de arte própria delas, que corresponde às cicatrizes delas, que oculta o que elas não gostam no processo do tratamento. Elas fazem parte do processo criativo, fazem parte da concepção e podem se apossar dela”, disse ele.

Tatuagens após mastectomia podem ajudar na recuperação, diz o artista.

Allen reconhece que a obra de arte é importante. Mas talvez o mais importante seja o tempo que ele dedica às clientes.

“Estou descobrindo que ainda mais fundamental é o tempo dedicado a essas senhoras, não tatuando-as, mas conhecendo-as previamente e, em seguida, passando algum tempo conversando e ouvindo suas histórias, aprendendo quem são, para que elas se sintam suficientemente confortáveis ​​para ficar à vontade com você. Então você começa a ver o que elas gostariam, porque confiam em você”, disse ele.

Allen criou uma abordagem que difere da abordagem de outros artistas, dos cirurgiões plásticos e das pessoas que fazem micropigmentação.

“A abordagem convencional da micropigmentação após a mastectomia é a tatuar a imagem de um mamilo na mama reconstruída. A meu ver, a ilusão de óptica de um mamilo tatuado não tem personalidade. Não tem nenhuma relação com a alteração corporal e mental sofrida pela mulher. As mulheres que vejo querem a oportunidade de se transformar em algo que transcenda a imitação do que elas eram antes”, disse ele. “À medida que fui fazendo este trabalho, fui evoluindo no sentido de adotar imagens botânicas – ramos, caules, folhas e flores – como a forma mais eficaz de transformar a mama alterada cirurgicamente”.

A empatia é crucial para fazer este trabalho, disse Allen.

“A empatia, o esmero e uma leitura cuidadosa da paciente são mais importantes para um resultado de sucesso do que os aspectos técnicos da tatuagem”, disse ele.

Ele é frequentemente convidado para falar sobre empatia. Sua palestra mais recente foi na Drexel University, na Filadélfia.

“A empatia é simplesmente estar presente e não apenas ecoar. Por exemplo, se você começasse a chorar agora ao telefone e eu chorasse com você, isto seria ecoar. Eu não sei por que você está chorando. A empatia é encontrar o contexto, aprender com você e estar presente e em seguida usar a minha imaginação para compreender como você se sente. Eu uso a empatia com o infortúnio das minhas clientes. Elas passaram por esta terrível provação”, disse Allen.

JAMA. 2017;317:672-674. Artigo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s